segunda-feira, 27 de julho de 2009

Em Luanda não se vê o nascer do Sol.
Tudo é nuvens, brumas, poeira e fumos...
A poluição ocupou todo o espaço, não há espaço para mais nada.
A única coisa que se vê é uma imagem difusa de um astro em chamas.

1 comentário:

Trêza disse...

Estou impressionada, Diuska, com o que conta sobre a baía de Luanda.

Conheço da baía das imagens tipo “cartão postal” que se encontram pela internet. Os conhecidos que lá estiveram sempre contam que é lindíssima...

Será porque a poluição não atrapalha a beleza vista por quem está ao longe?

No seu post do dia 15-07 dizia “A marginal ao Domingo enche-se de graça, de luz que se reflecte na baía e ilumina todo o espaço, agora livre de carros a soprar fumos do inferno pelo escape.” e por aqui concluo que é lindíssima a baía de Luanda, mas que chegando bem perto se percebe que está muito poluída, é isto?